sábado, 5 de janeiro de 2013

Autenticidade ou Resistência à Mudança?

 Encontrei esta foto no facebook, no mural de uma amiga, a Carmen (obrigado) e lembrei-me que...
A questão da autenticidade nas apresentações é verdadeiramente importante. Por outro lado, não podemos agarrarmo-nos à autenticidade para fazermos sempre igual, sempre da mesma forma.
Um apresentador não pode ser como a Gabriela... (Eu nasci assim... eu sou sempre assim...) porque esse pode não ser o melhor caminho!
Por vezes, temos que experimentar, temos que ousar, temos que sentir que algo não nos pertence, que não é autêntico em nós... mas depois de refletir, de verificar as mais-valias que essa alteração terá em nós e, claro, nos outros, de treinar, de refazer, de voltar a treinar... sentiremos que aquela nova atitude, aquele novo comportamento, aquela novidade em nós transforma-se em algo que, afinal, até é autêntica, natural.
Dá trabalho, pode causar algum desconforto inicial mas depois dá um grande prazer! Faz lembrar os sapatos novos que nos magoam as primeiras vezes mas que, depois, já não damos por eles...

domingo, 30 de dezembro de 2012

Preparar o Sucesso

Ryan Reynolds, ator de referência afirma "não espero o sucesso mas preparo-me para ele". De facto, partilho dessa mesma perspetiva relativamente às apresentações.
Nestes largos anos de trabalho em Apresentações e, ultimamente, em Apresentações Que Falam Por Si, constato que há muitas pessoas que acreditam que a preparação não é assim tão necessária. Muitas vezes até referem "se preparar depois perco a autenticidade, a naturalidade... e até é pior!"
Nestes casos, costumo deixar algumas sugestões. Hoje partilho três consigo:
1 - A leitura do livro de Carmine Gallo, intitulado "The Presentation Secrets of Steve Jobs". O autor refere diversos exemplos de apresentações feitas por Steve Jobs e o minucioso trabalho de preparação que este exigia e se exigia! Os resultados são conhecidos.
2 - Um olhar atento para, por exemplo, os atores de teatro. A preparação, para estes profissionais, é natural, faz parte do seu trabalho, não podem viver sem ela. No entanto, quando assistimos a uma peça, não questionamos a autenticidade nem a naturalidade dos atores. No desporto, também, sabemos que os resultados surgem do trabalho prévio de preparação, do treino exaustivo e contínuo.
3 - Bruce Springsteen esteve recentemente em Portugal. O seu concerto foi fantástico, irrepetível, poderíamos pensar mas, na realidade, o alinhamento foi muito idêntico ao de outros concertos. Em vez de  "Hallo Berlin" ouviu-se "Olá Lisboa". Passeou pelo público como faz noutros concertos, levou pessoas ao palco como já faz há muitos anos, fez uma homenagem a um grande amigo, o falecido Clarence Clemons, membro da sua "The E Street Band", como também tinha feito noutros palcos.

Preparar não é sinónimo de falta de competência mas sim de elevado profissionalismo e de respeito por quem assiste à apresentação, à peça de teatro ou ao concerto de música.

Recupero a frase de Ryan Reynolds "não espero o sucesso mas preparo-me para ele" deixando-lhe o repto de em 2013 preparar cada vez mais e melhor as suas apresentações!

Desejo-lhe um 2013 que Fale Por Si!